domingo, 7 de fevereiro de 2016

O que há pelas ciclovias de São Paulo.


G1 mostra obstáculos e facilidades no trajeto da Barra Funda até Zona Sul.
Conheça também quem são os paulistanos que usam as ciclovias.







O G1 percorreu o principal eixo das novas ciclovias de São Paulo para mostrar, no Dia Mundial Sem Carro, um resumo do que encontra quem escolheu pedalar em São Paulo. Em ritmo acelerado, o trajeto vai da Barra Funda até a Zona Sul, passando pelo Centro. (Confira o vídeo acima registrado com o Hyperlapse, um aplicativo para celular.)
Além do vídeo, a equipe de reportagem foi às ruas para conhecer quem pedala: eles contam por que escolheram as bikes e o que argumentam para quem critica as ciclovias. Veja abaixo:
Nome: Rogério Martins Idade: 42 anos Profissão: Zelador Ciclovia (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Rogério Martins, zelador (Foto: Marcelo Brandt/G1)
ROGÉRIO MARTINS, 42 ANOS, ZELADOR

Por que você pedala?
“Por necessidade. Praticidade, também. Para levar minha filha na escola não tem veículo melhor. É o mais rápido, prático, não polui. Ainda faço um exercício, a barriga agradece!”

Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Eu vou te falar a verdade: nem Deus agradou todo mundo. (...) Eu acho que no Centro não tem necessidade de vir de carro. Tem Metrô, é tudo perto. O pessoal tem que se conscientizar. Tem gente que parece que nasceu dentro do carro. O veículo para mim não é nada. Quando eu preciso, para viajar, eu alugo.”
Nome: Adriano Fonseca Idade: 38 anos Profissão: Microempreendedor Ciclovia (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Adriano Fonseca, microempreendedor Ciclovia (Foto: Marcelo Brandt/G1)

ADRIANO FONSECA, 38 ANOS, MICROEMPREENDEDOR

Por que você pedala em SP?
“Porque é mais saudável, mais econômico para o meu trabalho também.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Que elas agora fazem parte da nossa vida e de alguma maneira elas melhoraram, não houve prejuízo para o trânsito.”
Ciclista Estevão Freitas Lima (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Ciclista Estevão Freitas Lima (Foto: Marcelo Brandt/G1)
ESTEVÃO FREITAS LIMA, 55 ANOS
Por que você pedala em SP?
“Porque é mais cômodo, mais rápido.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Nada contra não, cada um vive a sua vida.”
Lilian Cunha, jornalista (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Lilian Cunha, jornalista (Foto: Marcelo Brandt/G1)
LILIAN CUNHA, 43 ANOS, JORNALISTA
Por que você pedala em SP?
Porque é mais rápido, melhor, mais gostoso. Em todas as grandes cidades está todo mundo pedalando. É um movimento natural que aconteça aqui também."
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Não tenho a dizer nada! Passo pedalando super rápido na frente delas, não estou nem aí! Detesto funk, mas isso é recalque.”
Rodrigo da Silva Batista, porteiro (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Rodrigo da Silva Batista, porteiro (Foto: Marcelo Brandt/G1)
RODRIGO DA SILVA BATISTA, 30 ANOS, PORTEIRO
Por que você pedala em SP?
“Porque hoje em dia é a melhor opção. Devido ao trânsito, a demora de ônibus, para mim é mais prático. Já adianta até o lado da saúde também.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Acho que elas deveriam olhar melhor para esse ponto, pois está adiantando muito o lado de muita gente. Para quem trabalha, para quem precisa de ônibus, elas estão dando uma boa solução para gente, para quem não tem carro. No meu caso mesmo, que tenho que pegar ônibus, sair de madrugada, essa ciclovia adiantou mesmo. Mesmo para quem tem carro, às vezes no rodízio.”
Edinaldo da Silva, operário (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Edinaldo Batista dos Santos, operário (Foto: Marcelo Brandt/G1)
EDINALDO BATISTA DOS SANTOS, DE 47 ANOS, OPERÁRIO
Por que você pedala em SP?
“Porque é mais fácil que andar de carro, de ônibus, no dia-a-dia.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Acho que deveria mudar a atitude. Todo mundo precisa de um espaço, tanto o ciclista como a pessoa de carro. E a partir do momento que o ciclista tá andando na ciclovia ele não está na rua no meio dos carros, o que já é um problema a menos.”
Élton Sodré, jornalista (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Élton Sodré, jornalista (Foto: Marcelo Brandt/G1)
ELTON SODRÉ, DE 32 ANOS, JORNALISTA
Por que você pedala em São Paulo?
“O primeiro motivo é pela saúde. Em segundo lugar porque creio que São Paulo tem muito carro. Eu tenho carro, e se eu andar com o meu, vou prejudicar muito a cidade. O terceiro é por uma questão ecológica. Além disso acho que porque de bike eu consigo ver melhor a cidade, tem a questão de inclusão, etc.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Eu diria que precisa estudar mais. Se ele estudar mais ele vai entender que menos velocidade na rua é igual a um trânsito mais rápido. Parece um paradoxo, contraditório, mas não é. Se ele não estudar, ele não vai entender nunca.”
Lucas Fonseca (Foto: Marcelo Brandt/G1)
Lucas Fonseca (Foto: Marcelo Brandt/G1)
LUCAS FONSECA BERTA, 19 ANOS, TRABALHA COM MÍDIAS DIGITAIS
Por que você pedala em SP?
“Pela facilidade, porque é mais prático. Apesar de ter habilitação, dependendo de onde eu for, eu prefiro ir de bicicleta. Também uso a bicicleta no meu trabalho.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Depende do argumento delas, mas acho que as ciclovias têm que existir em conjunto com o carro, como uma alternativa. Não usar somente um ou o outro. Se os dois trabalharem juntos, acho que não tem nenhum problema ter ciclovia.”
João Henrique, técnico de som (Foto: Marcelo Brandt/G1)
João Henrique, técnico de som (Foto: Marcelo Brandt/G1)
JOÃO HENRIQUE BARACHO, DE 32 ANOS, TÉCNICO DE SOM
Por que você pedala em SP?
“Porque é a melhor alternativa de transporte. Aqui no centro está tudo lindo agora para a gente. Acabei de ir na 25 de março comprar algumas coisas, estão aqui no bagageiro. E facilitou demais, o prefeito está ajudando bastante a gente nisso. Eu sempre pedalei, mas pelo meio do trânsito. Agora está tendo mais incentivo, está mais fácil.”
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
“Acho que quem é contra ciclovia, contra corredor de ônibus está vivendo no século passado. Não tem o que falar, é só a pessoa olhar. As pessoas que são contra falam que tem muito corredor, muita ciclovia, que atrapalha. Algumas falam que as ciclovias não foram bem construídas. Aí você pergunta: ‘Você anda de bike?’. E ela responde que não anda. A maioria das pessoas que reclama não anda de ônibus, não anda de bike. Elas estão atrasadas. Falar que não gosta disso é a mesma coisa que falar que não gosta de casamento entre pessoas do mesmo sexo. São pessoas retrógradas.”
Catarina Nobrega, ex-bike courrier (Foto: Caio Prestes/G1)
Catarina Nobrega, ex-bike courrier (Foto: Caio Prestes/G1)
CATARINA ARAÚJO NOBREGA, 29 ANOS, EX-BIKE COURRIER
Por que você pedala em SP?
Por que hoje em dia é o veículo mais habilitado para o pessoal se locomover nas vias.
Para quem é contra as ciclovias, você diz:
Por que não respeitar uma bicicleta?
Pode ser seu irmão, seu filho.
Visto em: http://g1.globo.com/sao-paulo/noticia/2014/09/video-em-versao-acelerada-mostra-o-que-ha-pelas-ciclovias-de-sao-paulo.html

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.