quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Por do sol.

Foto de Pedalar faz bem.
MM

Wendy Fiore

Foto de Vanity Cycling.
Resultado de imagem para Wendy Fiore em bike
Imagem relacionada
MM

XI Passeio BTT Noturno "À PROCURA DA FRANCESINHA"

Foto de Luis Miguel Marques.
XI Passeio BTT Noturno "À PROCURA DA FRANCESINHA"
2 de Setembro de 2017
Organização do LousadaBTT
Apoio do Município de Lousada
Inserido no Festival da Francesinha que decorre nos dias 1/2 e 3 de Setembro em Lousada.
Com a colaboração da LADEC e A LOUSADENSE Escola de Condução.
Inscrições em Lousadabtt.net
MM

Portugal representado por mais 3 ciclistas na Vuelta

Praticamente todas as equipas já anunciaram o seu "nove" para a Vuelta que começa já no próximo Sábado e para alegria dos portugueses, a juntar aos dois que falámos na passada segunda-feira (Rafael Reis e Nelson Oliveira), juntam-se mais três. Estamos a referir-nos a Rui Costa, José Gonçalves e Ricardo Vilela.
Rui Costa estará pela primeira na Vuelta e, tal como no Giro, tentará uma vitória em etapa, algo que lhe escapou no Giro por 3 vezes.
 Aqui, pensamos que terá mais hipóteses de o conseguir, com mais etapas ao jeito do poveiro. 
A acompanhar o português, na UAE Team Emirates, estarão Anass Ait El Abdia, Jhon Darwin Atapuma, Matej Mohoric, Przemyslaw Niemec, Jan Polanc, Federico Zurlo, Sacha Modolo e Louis Meintjes. Modolo para as etapas ao sprints e Meintjes para a geral.
Já José Gonçalves fará parte da equipa da Katusha-Alpecin, que terá em Ilnur Zakarin como líder indiscutível. Não será muito provável ver o barcelense em fugas, pois deverá ser um dos principais apoios do russo, tal como o fez no Giro. 
Maxim Belkov, Sven Erik Bystrom, Marco Haller, Alberto Losada, Matvey Mamykin, Michael Morkov e Rein Taaramae são os restantes elementos da equipa. 
Por fim, Ricardo Vilela parte para a sua segunda Vuelta a España, depois de a ter feito em 2015.
 O português faz parte da Manzana Postobon, uma das equipas convidadas pela organização, e é o único da formação sul-americana que já fez a Grande Volta espanhola. Vilela vai tentar estar nas fugas das etapas de média e alta montanha e terá como grande objetivo ganhar uma etapa. 
Fazem parte da equipa Aldemar Reyes, Hernan Aguirre, Bernardo Suaza, Juan Filipe Osorio, Fernando Orjuela, Hernando Bohórquez, Juan Sebastian Molano e Jetse Bol. Deste elenco, destacamos Aldemar Reyes para as etapas de montanha, Jetse Bol para os finais com algumas dificuldades e o vencedor de duas etapas na Volta ao Alentejo, Juan Sebastian Molano, para as chegadas ao sprint.
MM

MIKEL LANDA ASSINA PELA MOVISTAR

OFICIAL: MIKEL LANDA ASSINA PELA MOVISTAR
Foto de Camisola Amarela.
Já há algumas semanas tínhamos avançado com este rumor, bastante falado no mundo velocipédico, mas hoje a Movistar tornou oficial a mudança de Mikel Landa, da Team Sky para a formação comandada por Eusébio Unzue.
O vencedor de 1 etapa no Giro este ano, vencedor da classificação da montanha no Giro, 4º no Tour, peça fundamental na Team Sky, ao que tudo indica, tinha várias propostas por onde escolher, nomeadamente da Astana e da Movistar, e preferiu ingressar na equipa espanhol, em detrimento de um regresso. 
O contrato é válido por 2 temporadas, o que deixa as portas mais abertas para uma possível saída. Andava no ar a hipótese de Landa assinar um contrato de 5 anos.
Unzué já disse que Landa será o próximo grande líder do ciclismo espanhol, uma mudança que, de certa maneira, faz sentido, tendo em conta que Landa nunca pareceu encaixar na Team Sky e na sua filosofia e falava-se que o relacionamento com os seus colegas não era o melhor. 
Na Movistar irá conviver com Alejandro Valverde e, talvez, com Nairo Quintana. Isto porque se ouve que o colombiano pode sair, agora que a equipa escolheu contratar Landa. 
O plano da Movistar será levar Landa ao Giro como líder e depois ir ao Tour ou à Vuelta com um papel livre, veremos se isto se concretiza e se será uma boa solução.
Em: camisola amarela.
MM

Público faz frente às ordens da GNR

Volta a Portugal 

Público faz frente às ordens da GNR

Um agente teve de tirar a chave do carro a uma senhora que se recusava a parar para a Volta passar.
Os ciclistas não têm a vida fácil, mas a brigada de trânsito da GNR que acompanha a Volta a Portugal também não. 
Desde pessoas que se recusam a parar os seus carros para o pelotão passar, até às vacas teimosas que não saem da estrada, os agentes da polícia deparam-se com uma série de problemas para resolver todos os dias.
“Temos correspondido às expectativas. 
Mas nem sempre é fácil, pois há, por exemplo, condutores que não respeitam as nossas indicações. Tive de ser obrigado a tirar a chave a uma viatura de uma senhora, que estava inconformada por ter de parar para o pelotão circular”, revelou o sargento Caldeira Oliveira, que tem a missão de limpar o trânsito na frente da corrida, de maneira a que a ‘pista’ fique em segurança.
 Perante estes problemas, os agentes tentam dialogar com o público de uma maneira cordial e até dão atenção a crianças, transmitindo uma mensagem pedagógica a promover a modalidade.
Mas há outros casos de nervosismo, como conta o agente. 
“Tive uma situação em que a estrada estava ocupada por vacas e com o pelotão a aproximar-se gerou-se algum stress, mas também resolvemos a situação, não sendo obrigados a parar a corrida, o último recurso para se garantir a segurança.”
As vias sem bermas, como nas etapas de montanha, são outros dos problemas, pois, por vezes, é necessário desimpedir a estrada de veículos de grandes dimensões e estacioná-los para não haver constrangimentos aos ciclistas.
 “Temos também de adequar as distâncias de segurança nos diferentes troços, face à maior ou menor visibilidade”, esclareceu Caldeira Oliveira.
MM

I Rota Litoral do Oeste

Foto de Abel Marques.
MM

terça-feira, 15 de agosto de 2017

Virginia Cancellieri

Foto de Vanity Cycling.
MM

Luana Cordeiro

Foto de Vanity Cycling.
MM

HEGEMONIA DA W52-FC PORTO VINCADA COM MACHADADA FINAL, AMARO ANTUNES FICA COM A ETAPA

HEGEMONIA DA W52-FC PORTO VINCADA COM MACHADADA FINAL, AMARO ANTUNES FICA COM A ETAPA
Mais de 4 minutos foi a vantagem conseguida hoje por Amaro Antunes e Raul Alarcon sobre os seus rivais na classificação geral após um ataque letal na Torre. Foi um final poético, com abraços pelo meio e que premiou Amaro Antunes com a vitória na etapa, logo seguido por Raul Alarcon e o incrível Krists Neilands. 
Dos restantes candidatos, os melhores foram Mateos e Nocentini, mas ambos já estão a mais de 5 minutos na geral de Alarcon, que conserva a liderança com autoridade firmada.
Mais um início de etapa muito animado, com luta pela classificação da montanha, Egor Silin passou na frente de João Matias e Mikel Bizkarra. 
Depois disso um grupo de 20 unidades destacou-se, com representação da maioria das equipas presentes em prova. 
Ganharam cerca de 4 minutos sobre o grupo principal. 
Quando a subida à Torre começou ficaram na frente Patrick Schelling, Domingos Gonçalves, Antonio Parrinello, César Fonte, Ricardo Mestre, Hélder Ferreira, David de la Fuente, Jesus Ezquerra e Jesus del Pino.
A 90 kms da meta saltaram no pelotão Rui Sousa, Luis Afonso e Mikel Bizkarra, enquanto a W52-FC Porto controlava no pelotão e Egor Silin fazia a ponte para o grupo dianteiro e passava directo. A 85 kms do final Amaro Antunes acelerou e deixou em dificuldades Gustavo Veloso, um segundo abanão deixou Amaro destacado dos restantes, recebendo a ajuda de Rui Vinhas pouco depois. 
Amaro foi saltando de grupo em grupo num ritmo impressionando, Veloso, completamente a quebrar dizia a António Carvalho para ele ir e Alarcon atacava no grupo encabeçado pelo Sporting-Tavira. Alarcon chegou à frente, onde também estavam Amaro e Ricardo Mestre.
Só Neilands conseguiu seguir o ritmo do trio da W52-FC Porto na frente, que abriu um fosso de 1:20 para os restantes favoritos. 
O grupo da frente foi alargando a diferença, para 1:50 na descida e 2:30 na subida de 3ª categoria. 
A 20 kms da meta, e com a diferença em 3 minutos o grupo perseguidor começou a desentender-se. 
Pouco depois Krists Neilands perdeu o contacto com o duo da W52-FC Porto.
A situação manteve-se até ao fim, com a vantagem a subir, inclusivamente para mais de 5 minutos. Foi Amaro Antunes a ficar com a vitória na etapa, foi só escolher, com Alarcon a festejar efusivamente com o seu companheiro. Neilands ainda terminou em 3º a 1:30. 
Entre os restantes o melhor foi Vicente de Mateos, mas a mais de 4:30, logo seguido por Nocentini e João Benta. Na classificação geral continua Raul Alarcon líder, com Amaro Antunes por perto e Vicente de Mateos em 3º, este último já a mais de 5 minutos, com a certeza que a vitória na Volta irá para a W52- FC Porto.
Top 10 da etapa:
1. Amaro Antunes (W52/FC Porto) 04h 56' 55''
2. Raul Alarcon (W52/FC Porto) + 00' 00''
3. Krists Neilands (Israel Cycling Academy) + 01' 28''
4. Vicente de Mateos (Louletano - Hospital de Loulé) + 04' 41''
5. Rinaldo Nocentini (Sporting Clube de Portugal/Tavira) + 04' 44''
6. João Benta (Radio Popular Boavista) + 04' 48''
7. Alejandro Marque (Sporting Clube de Portugal/Tavira) + 04' 50''
8. Henrique Casimiro (Efapel) + 04' 50''
9. Hugo Sancho (LA Alumí­nios-Metalusa) + 04' 57''
10. David Rodrigues (Radio Popular Boavista) + 05' 07''
Top 10 da classificação geral:
1. Raul Alarcon (W52/FC Porto) 41h 19' 59''
2. Amaro Antunes (W52/FC Porto) + 00' 31''
3. Vicente de Mateos (Louletano - Hospital de Loulé) + 05' 04''
4. Rinaldo Nocentini (Sporting Clube de Portugal/Tavira) + 05' 12''
5. João Benta (Radio Popular Boavista) + 06' 32''
6. Henrique Casimiro (Efapel) + 07' 07''
7. Alejandro Marque (Sporting Clube de Portugal/Tavira) + 07' 07''
8. António Carvalho (W52/FC Porto) + 07' 16''
9. Sérgio Paulinho (Efapel) + 07' 39''
10. Krists Neilands (Israel Cycling Academy) + 08' 31''
MM