quinta-feira, 13 de agosto de 2020

82ª Volta a Portugal Santander adiada para 2021



A Podium Events e a Federação Portuguesa de Ciclismo decidiram proceder ao adiamento da 82ª Volta a Portugal em Bicicleta Santander para 2021. A decisão foi motivada pelo contexto de pandemia gerado pela COVID-19 que tornou inviável a realização este ano de um evento desta dimensão.
A estreita colaboração e empenho das duas entidades na tentativa de viabilizar a organização da prova acabou frustrada após ter sido apresentado à Direção Geral de Saúde (DGS) um plano de contingência que foi objeto de alterações por parte desta entidade, as quais dificultam seriamente a realização do evento nos moldes habituais.
A evolução da pandemia, o estado de incerteza sobre a mesma, assim como a recusa de autorização de passagem e permanência da prova por parte de algumas autarquias, e, atendendo à prioridade inequívoca de proteger a saúde pública com base nas recomendações da DGS, a Podium e a Federação, após avaliadas todas as condições sanitárias e de segurança que um evento de massas como a Volta exige, são forçadas a concluir que não se encontram reunidas as condições para a realização da 82ª Volta a Portugal Santander este ano.
A Podium lamenta profundamente esta decisão, mas é a única que poderia assumir de forma responsável perante o público, equipas, autarquias, patrocinadores e todos os envolvidos.
Conscientes de que a decisão poderá colocar a modalidade numa situação dramática, e perante o desejo da Federação Portuguesa de Ciclismo de defender o ciclismo profissional e a salvaguarda dos interesses dos ciclistas e equipas, ambas as entidades entenderam na possibilidade de realização de uma Edição Especial da Volta a Portugal em Bicicleta por parte da Federação Portuguesa de Ciclismo, no estrito interesse do ciclismo enquanto modalidade desportiva, o qual foi formalizado através de um acordo que permite ao órgão federativo desenvolver esforços para organizar uma prova que possa colmatar os efeitos da suspensão da Volta a Portugal Santander.
A ser possível a realização do novo evento, este será da exclusiva responsabilidade da Federação Portuguesa de Ciclismo e terá características distintas constituindo uma Volta a Portugal – Edição Especial, pelo que não comprometerá a 82ª edição da Volta a Portugal Santander, que será realizada em 2021 nas datas habituais.
Caso seja possível a realização da Volta a Portugal – Edição Especial, a Podium deseja o maior sucesso, especialmente pelo bem da modalidade, e apoiará sempre que possível.
A Podium agradece o apoio incondicional dos patrocinadores e dos restantes parceiros essenciais à Volta.


Estas entidades apoiaram as decisões tomadas, bem como os períodos de espera necessários para se poder decidir em conformidade com a evolução da pandemia.
Todas as decisões foram tomadas no limite de tempo exigido face à imprevisibilidade da pandemia que vivermos, de forma a tentar recolher o máximo de informação e assim tomar a decisão mais adequada face às atuais circunstâncias excecionais.
Mais info em www.volta-portugal.com.
MM

13º Almourol a vista.

MM

VOLTA A PORTUGAL DISPUTA-SE DE 27 DE SETEMBRO A 5 DE OUTUBRO

A edição de 2020 da Volta a Portugal em Bicicleta vai realizar-se de 27 de setembro a 5 de outubro, sendo organizada pela Federação Portuguesa de Ciclismo.
Volta a Portugal disputa-se de 27 de setembro a 5 de outubro

A edição tradicional da Volta, enquanto grande festa popular de agosto, com 12 dias de duração, não se realizou, devido à pandemia.

A Federação Portuguesa de Ciclismo entendeu, no entanto, que a Volta a Portugal é essencial para o futuro do ciclismo profissional no país, tendo decidido organizar uma edição adaptada às circunstâncias especiais em que vivemos.

A corrida será composta por um prólogo e oito etapas, tendo as principais caraterísticas de um grande evento de ciclismo: interesse desportivo, forte impacto mediático, capacidade de dinamizar a economia do país e de divulgar o território e garantia de retorno para o investimento dos patrocinadores da corrida e das equipas participantes.

Depois de a iniciativa da Federação Portuguesa de Ciclismo ter obtido um excelente acolhimento das câmaras municipais contactadas para integrarem o itinerário, decorrem com normalidade os trabalhos para a organização da prova.

Oportunamente serão comunicados os detalhes desta Volta a Portugal, que, em 2020, pretende ser especial e inspiradora, um símbolo de um país que supera adversidades para celebrar a vida através do desporto.
MM

UCI Road World Championships

2020 UCI Road World Championships não vai se realizar em Aigle-Martigny 2020 🇨🇭
UCI está á procura de novos locais 🚴
Read the full press release here: https://fal.cn/39Hfh
MM

quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Dana Feiss


MM

Vá de bicicleta. Se não puder, vá com bp e saiba que as suas emissões estão a ser compensadas

Com a neutralidade carbónica em vista, a bp Portugal lança agora o programa Drive Carbon Neutral, que pode ajudar a compensar mais de 2 milhões de toneladas de carbono por anoEm fevereiro de 2020, a bp definiu uma nova ambição: atingir as zero emissões líquidas de carbono até 2050 ou antes e ajudar o mundo a atingir esse objetivo. Mas na bp, as ambições de baixo carbono não são uma novidade. Desde 2006 o bp Target Neutral faz parte do grupo de negócios da bp ajudando pessoas e empresas a reduzir, substituir e neutralizar as suas emissões de carbono.Ao longo dos últimos 14 anos, o bp Target Neutral ajudou clientes a compensar 6 milhões de toneladas de carbono, angariando mais de 24 milhões de euros para projetos de redução de carbono em todo o mundo.

Com a neutralidade carbónica em vista, e assumindo como sua esta ambição global, a bp Portugal lança agora o programa Drive Carbon Neutral dirigido aos seus clientes* e que pode ajudar a compensar mais de 2 milhões de toneladas de carbono por ano, o equivalente a retirar cerca de 400.000 carros das estradas.
A bp irá compensar as emissões de carbono de todos os combustíveis gasóleo, gasolina e GPL através do bp Target Neutral, utilizando créditos de carbono gerados a partir de projetos globais, rigorosamente selecionados, que financiam a utilização de energias renováveis, baixo carbono e a proteção das florestas.
Estes projetos foram selecionados através da aplicação das melhores práticas do setor no fornecimento de gestão de carbono, de acordo com o Código de Boas Práticas da ICROA, sustentadas por padrões internacionais para compensar as emissões de carbono dos combustíveis.
É um passo no caminho certo que faz da bp a primeira marca de combustíveis em Portugal a incorporar a compensação de emissões de carbono na sua oferta para toda a gama de combustíveis. Assim, enquanto conduz com combustíveis bp, o cliente sabe que, por todo o mundo, estão a ser apoiados projetos que compensam as emissões de carbono dos seus abastecimentos.
A bp ambiciona ter um papel ativo na transição energética e reinventar a energia para as pessoas e para o planeta, melhorando a qualidade de vida e reduzindo o impacto no ambiente. Nesse sentido, e uma vez que não existem ainda programas de compensação de emissões de carbono certificados em Portugal, a bp já está a apoiar o bem-estar ambiental através da adesão ao Compromisso Lisboa Capital Verde Europeia 2020 – Ação Climática Lisboa 2030.Existem ainda outras iniciativas, tais como a comercialização dos seus combustíveis premium BP Ultimate com Tecnologia ACTIVE (aumentando a eficiência dos veículos e reduzindo consumos), um projeto-piloto que consiste na disponibilização de pontos de carregamento elétrico nos nossos postos de abastecimento aderentes e, ainda, a compensação das emissões de carbono dos veículos de salvamento do Instituto de Socorros a Náufragos, nas praias portuguesas, no âmbito do projeto SeaWatch.
As escolhas que fazemos todos os dias podem ter um grande impacto na nossa pegada de carbono individual, em especial a maneira como viajamos em trabalho ou em lazer. Enquanto o mundo não consegue atingir a neutralidade carbónica, e como afirma a própria campanha de comunicação, “Vá de bicicleta. Se não puder, vá com bp”.
* O programa não inclui combustíveis adquiridos através de cartões de combustível de frota (BP Plus)Em: https://visao.sapo.pt/conteudopatrocinado/2020-07-27-va-de-bicicleta-se-nao-puder-va-com-bp-e-saiba-que-as-suas-emissoes-estao-a-ser-compensadas/
MM

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Cait Dooley

cait dooley
MM

Samantha Chang

A camada intermediária.
Nosso estilo de roupa nos representa exteriormente e todos nós já ouvimos falar em beleza interior, mas e a camada intermediária? 
Poucas pessoas nos veem nessa divertida, funcional e bonita camada que usamos (quase) todos os dias. É essa camada intermediária que pode nos fazer sentir fortes, poderosos, equilibrados e bonitos, independentemente de quem possa vê-lo. 
Nestas imagens, retratamos mulheres usando lingerie em ambientes cotidianos para mostrar o que você normalmente não vê e o que elas sempre podem:
MM

Acidente em prova

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
A imagem pode conter: uma ou mais pessoas e ar livre
Nunca entendi porque é que um atleta que é apanhado com doping apanha e bem anos e anos de castigo quando "apenas se está a matar a ele próprio" e um atleta que coloca outros atletas em risco de vida é apenas desclassificado de uma prova onde a desculpa da "cabeça quente" parece ir sempre pegando.
E estes finais de corrida rodeados de armadilhas mortais (baias metálicas) também continua a parecer algo do 3° mundo com tanta coisa insuflável por aí...
Rápidas melhoras a todos os acidentados especialmente ao Fabio que continua em coma.
MM

domingo, 2 de agosto de 2020

Volta a França do Futuro cancelada a duas semanas do início

A Volta a França do Futuro prevista para meados de agosto foi cancelada pelos organizadores da prova para ciclistas com menos de 23 anos devido a motivos sanitários relacionados com a covid-19.
Volta a França do Futuro cancelada a duas semanas do início
“Aparentemente é complicado assegurar pela maior parte dos selecionadores o respeito escrupuloso das precauções sanitárias dentro de uma prova que acolhe 23 equipas oriundas de Europa, África, Ásia e América”, explicou a organização.
Por causa da pandemia, a prova já tinha sido redimensionada e reduzida para seis dias, de 14 a 19 de agosto.
A Alpes Velo, que organiza o evento, critica a “disparidade de garantias sanitárias” exigidas, que obrigam à “necessidade de uma bolha hermética”.
Os promotores esperam que em 2021 a competição possa recuperar o seu formato habitual com 10 dias em agosto.
Entre os vencedores da Volta a França do futuro estão alguns dos nomes mais fortes do pelotão internacional como Nairo Quintana, Esteban Chaves, Warren Barguil, Miguel Ángel Lopez, Marc Soler, David Gaudu, Egan Bernal e Tadej Pogacar.O português Rui Costa foi segundo em 2008.
MM