domingo, 24 de abril de 2016

Aumento para 35% do uso da bicicleta evitaria 113 mortes/ano em cinco cidades europeias

Bicicletas Copenhaga2 site
Um estudo realizado em cinco cidades europeias revelou que se a taxa de utilização de bicicleta subisse em todas elas até aos 35% das deslocações morreriam menos 113 pessoas em cada ano.
O trabalho do Centro de Investigação e Epidemiologia Ambiental (CREAL), sediado em Barcelona, foi realizado nesta cidade espanhola, em Basileia (Suiça), Copenhaga, Paris, Praga e Varsóvia.
O índice de utilização apontado de 35% é o da capital dinamarquesa, Copenhaga, que, se fosse praticado nas restantes evitaria 61 mortes em Praga, 37 em Barcelona e Paris e cinco em Basileia.
Quando a mudança é avaliada na perspetiva ambiental, a redução de emissões de dióxido de carbono cairia, nas seis cidades, um total entre 1,139 e 24.423 toneladas por ano.
O crescimento das deslocações a pé também tem reflexos positivos muito evidentes. “Um aumento das viagens a pé de 50% em todos os trajetos (como sucedeu em Paris) teria como resultado evitar anualmente 19 mortes em Varsóvia, 11 em Praga, seis em Basileia e três em Copenhaga e Basileia”, explicou um dos autores do estudo, David Rojas.
“A aplicação de políticas de transporte ativo com uma melhoria da segurança do tráfego, particularmente para os modos de transporte ativo, dará lugar a maiores benefícios claros para a saúde”; considera David Rojas, para quem “a melhoria da qualidade do ar, junto com a implementação de uma política de transporte ativo, também reduzirá os riscos para os ciclistas e peões, assim como para todos os restantes cidadãos e aumentaria os benefícios para a saúde”.
MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.