domingo, 12 de junho de 2016

VÉLIB.

Paris não é a capital da bicicleta, mas não fica muito longe disso.
 O fato de ser relativamente plana e ter uma boa rede de avenidas muito largas, foi um incentivo para que o município apostasse em ciclovias de qualidade. 
Hoje a bicicleta é para os parisienses uma boa alternativa de transporte cotidiano, e o ambiente agradece. 
Mas em 2007 o município foi mais longe e criou um inovador sistema de aluguel de bicicletas que está  tendo bastante sucesso, o Vélib!
Velib é o nome dado ao sistema de locação de bicicletas instalado por todas as localidades de Paris e cidades vizinhas. Este sistema tem sido muito utilizado desde Setembro de 2007, quando foi inaugurado pelo prefeito da cidade, Bertrand Delanoë.
Desde 2007, a Prefeitura de Paris criou um sistema de transporte público sob duas rodas, o Vélib’ — o nome é a contração de velo (bicicleta) e liberte (liberdade). Mais de 20.000 bicicletas foram colocadas a disposição em 1.250 estações, a cada 300 metros de Paris. Nos arredores da capital, já existem 300 pontos de aluguer. As ruas, avenidas, bulevares, praças e parques foram redesenhados para criar 370 quilômetros de ciclovias. Um tremendo sucesso entre a população, o Vélib’ foi utilizado 42 milhões de vezes nos últimos 18 meses — 78.000 usuários por dia. Só no primeiro ano de funcionamento, a prefeitura arrecadou 20 milhões de euros.
Por conta disso, alugar uma bicicleta por aqui está ao alcance de todos. Com o Velib você pode ir de norte a sul da cidade pedalando. Qualquer pessoa a partir dos 14 anos de idade pode alugar e andar à vontade.
Para isso você só precisa de um cartão de crédito e ter um seguro pessoal pois, caso haja um acidente, se o ciclista for o culpado a lei o obriga a arcar com seus custos médicos e os  da vítima.
Esse projeto criado pelo prefeito foi um grande sucesso desde o seu lançamento, isso porque ele é um excelente meio de transporte, pois além de ser politicamente correto é um sistema prático e econômico, além de muito agradável!
Esse sistema de locação foi muito bem recebido pela população de Paris. Quem mora perto de uma estação pode perceber que elas vivem vazias durante o dia e, durante a noite, principalmente depois que o metrô para de circular, é mais difícil encontrar lugar para devolver a bicicleta.
Aluguel de bicicletas – Paris além do Óbvio
As vèlibs são bicicletas resistentes e possuem 3 marchas.

Há, por toda a cidade, indicação no asfalto dizendo onde deve-se andar de bicicleta e onde deve-se atravessar a rua.
Nos grandes boulevards e avenidas, geralmente a ciclovia é a mesma pista reservada aos ônibus. Os motoristas costumam ser gentis com os ciclistas, mas é bom tomar cuidado e sempre indicar com o braço antes de virar uma esquina. O ciclista deve evitar andar na contramão. “
O site do Programa Vèlib tem opção do idioma:  francês,inglês ou espanhol
De 300 em 300 metros existe, dentro dos limites da cidade, um posto com espaço para cerca de 30 bicicletas, e um computador correspondente, que torna o aluguel completamente automatizado.
 Foto: Lara Lefebvre-Pestana
Há mais de 1.200 estações de locação de bicicletas em Paris e cidades vizinhas

Encontrar estes postos não é tão fácil quanto parece, pois eles não estão nas praças nem avenidas principais, mas sim nas suas transversais. Ora, numa praça tão grande como a Étoile por exemplo, pode-se perder bastante tempo  procurando entre as 12 avenidas que ali confluem. Por essa razão, os postos de turismo têm mapas de postos Vélib’ gratuitos, basta pedir… Encontrando um, é só seguir as instruções.
Vamos supor um aluguer mínimo de 24 horas:
- O computador dos postos não tem a opção de ler em português; perceber as opções é fácil, perceber os regulamentos pode ser mais confuso.
- Sem carregar em nada, a tela apresenta 3 opções, é preciso escolher a opção 2 (s’abonner) e escolher a tarifa de curta duração de 1 dia.
- A partir daí um grande conjunto de etapas serão apresentadas; é tudo uma burocracia para garantir que se decore um código pessoal, se aceite os termos legais, e se forneça os dados do cartão multibanco.
- Os dados do cartão multibanco são a única forma de fazer o pagamento de 1€70 (o mesmo que um bilhete de metro normal), e obrigam a fazer uma pré-autorização bancária de 150 euros. Estes 150 euros constituem uma garantia, e só são debitados do cartão caso a bicicleta não seja validada pelo posto no ato de entrega.
- Respeitando todos estes passos, o computador fornece um bilhete com um código de 8 algarismos.
- Obtendo esse bilhete, basta voltar a tela inicial, escolher a opção 1, e marcar os 2 códigos (o pessoal e o do bilhete); isso abre a conta do aluguel, onde existem diversas opções, entre elas ativar uma bicicleta do posto à escolha, e ver a localização dos postos mais próximos.
- Ativando uma das bicicletas disponíveis, inicia-se assim o período de 24 horas disponibilizado.
- 1€70 é na verdade o preço do bilhete, e existe uma pequena taxa adicional para cada hora que se ande de bicicleta. Todos esses valores serão automaticamente debitados da conta bancária sem qualquer aviso…
- Mas há um truque para não ter de pagar taxas. Visto que a primeira meia-hora é gratuita, basta ir trocando de bicicleta de meia em meia-hora. Essa troca implica encontrar postos ao fim de 28 minutos, entregar a bicicleta validando a entrega no computador, e depois, para voltar a alugar, há que fazer outra vez todo o processo de ativar a bicicleta. Com o hábito, o processo vai-se tornando simples e rápido.
- Em resumo, é possível andar 24 horas de Vélib’ gastando apenas 1€70.
E os 150 euros?!
- Aqui é que a “porca torce o rabo”. Centenas de processos judiciais estão em andamento contra a empresa JCDecaux, por alegadamente terem retirado os 150 euros a pessoas que tinham entregue a bicicleta, e sem estar danificada.
- Quando se entrega uma bicicleta num posto, um conjunto de ‘bips’ será ouvido, e uma luz verde acendida significando que a bicicleta foi entregue em bom estado. Para evitar que a validação corra mal, convém que, antes de ativar uma bicicleta, se proceda a uma olhadinha às bicicletas disponíveis, de forma a ver o estado delas, pois se ativar uma que não tenha um pedal, arrisca-se a que, quando a trocar, lhe sejam retirados os 150 euros…
- A pré-autorização bancária, significa que só se pode alugar uma bicicleta se se tiver 151€70 na conta, mas para alguns bancos, isso significa que durante as 24 horas de aluguer, é retirado esse valor ao saldo disponível, o que pode causar grande sustos…
- Raramente se encontra postos completos ou vazios para fazer a troca, mas como isso pode acontecer, aconselho  iniciar a procura por postos 5 minutos antes da meia-hora, de forma que possa encontrar outro posto, ou esperar que alguém chegue para alugar ou entregar uma Vélib’.
Vou dividir com vocês informações que encontrei  no site da Conexão Paris .
Como eu faço para alugar o Velib ?
O pagamento do aluguel se faz por cartão.
Existem 2 tipos de assinaturas :

- Assinatura de Curta duração:
- 1 dia : 1 euro
- 7 dias : 5 euros
Essa formula é com certeza a mais usada pelos turistas. Vale para todo o dia e qualquer trajeto. Uma caução de 150 euros é pedida antes de alugar a bicicleta , então se você não quiser pagar esse valor, verifique bem se conseguiu devolver a bicicleta na estação.
A primeira meia-hora é sempre gratuita, depois é um euro por meia hora.
DICA: para não ficar pagando a mais você pode andar a primeira meia hora e procurar uma estação e trocar quantas vezes quiser sua bicicleta. Mas não esqueça que para isso você não pode ultrapassar meia hora!

Primeira meia horaa mais: 1 €
Segunda meia hora a mais:  2 €
A partir da terceira meia hora:  4€ por meia-hora a mais

- Assinatura de Longa duração:
- 1 ano : 29 euros.
As condições são as mesmas que as descritas anteriormente
Dica : Se a estaçao de Vélib esté cheia, você só precisa passar seu cartão Velib na borna da estação para beneficiar de 15 minutos (o tempo de encontar a próxima estação de bicicletas).

As fotos e o texto abaixo são de autoria de Kátia Becho.
“Andar de vèlib é uma das melhores formas de se conhecer Paris: fácil, rápido, barato e lúdico. Funcionando desde o verão de 2007, as vèlibs (união das palavras vèlo + liberté) caíram no gosto dos turistas e dos parisienses e provocaram o aumento das vendas de bicicletas comuns na cidade . Já são mais de 20.000 vèlibs e mais de 1.400 estações por toda Paris. A cada 300 metros, segundo a prefeitura, há uma estação.
 As estações são tipo auto-serviço, ou seja, a pessoa chega e faz toda a operação de aluguel através de um totem computadorizado. É preciso ter um cartão de crédito com chip, pois os totens não funcionam nem com cartão de tarja magnética nem com dinheiro.
Há duas formas de se comprar o passe vèlib: para uso por 1 ou 7 dias e para uso o ano todo. A primeira hora é gratuita mesmo pra quem pagou o passe anual. A dica é trocar de bicicleta antes de vencer a primeira meia hora. Dessa forma, com um único pagamento de 1 euro, dá pra rodar o dia todo.
Uma das centenas de estações de bicicletas públicas de Paris
Como funciona o vèlib, passo a passo:
1. Vá até uma das mais de 1.400 estações de vèlib na Capital.
2. Primeiro, escolha uma bicicleta olhando a condição dos pneus, a corrente, os freios e dê uma giradinha no pedal pra ver se está tudo funcionando bem. Veja, também, se a luz correspondente a ela (na tranca) está verde. Se estiver vermelha, aquela bicicleta estará indisponível.
3. Dirija-se ao totem computadorizado. De um lado, há o mapa da região e a localização das estações mais próximas, além daquela que vc já está. Do outro lado do totem, há uma tela e um display de botões.
4. Escolha um dos 5 idiomas (francês, inglês, espanhol, alemão e italiano) e siga as instruções na tela, apertando os botões do display numérico pra interagir com a máquina.
5. Digite o número da bicicleta que vc escolheu.
6. Insira o cartão de crédito no momento solicitado.
7. Uma vez aceito o cartão, a máquina imprimirá um ticket.
8. Passe esse ticket sobre o leitor ao lado da bicicleta. Você ouvirá um ‘clic’, indicando que a bicicleta está liberada.
9. Puxe-a pra trás e pronto: divirta-se. E não se esqueça de trocar de bicicleta a cada 29 minutos, ou menos.

Encontrei  no site da Conexão Paris outra explicação com mais detalhes…
Escrevo aqui um relato sobre o aluguel de bicicleta em Paris no programa Vélib
Artigo de Eduardo V.
“1- É extremamente simples, seguro e prático;
2- Você se dirige a um dos inúmeros Totens espalhados pela cidade;
3- “Examina” uma bicicleta, para ter certeza que não está quebrada;
4- Em um dos lados dos Totens, tem um visor com um teclado em baixo, e um local para colocar o cartão de crédito;
5- Na tela do visor tem a opção de escolher o idioma (não tem português) apertando a tecla “3″;
6- O próximo passo é escolher se você já tem um cartão Vèlib com identificador (já é assinante) que lhe permite alugar as bicicletas ou se você se irá adquirir um naquele momento(será um assinante);
7- Optando em adquirir um cartão Vèlib, você escolhe se quer um cartão válido por 7 dias (8 euros) ou válido por 1 dia (1,7 euro);
8- Nesse momento ele pede para você criar uma senha de 4 digitos para sua conta de assinante Vèlib que está sendo criada e pede para você inserir seu cartão de crédito com chip, informando que será feita uma pré-autorização de 150 euros no seu cartão como uma caução;
9- Após isto, o totem imprime seu cartão de assinante, onde consta o número (8 digitos) da sua conta Vèlib criada;
10- O totem volta a tela inicial e depois de escolher o idioma, escolha a opcão de JÁ SER UM ASSINANTE;
11- Ele pede o número do seu cartão de assinante (8 digitos) e sua senha pré-cadastrada ( 4 digitos), abrindo sua conta.;
12- Nesse momento você escolhe a opção: Alugar uma bicicleta;
13- O totem pede para vc inserir o número da bicicleta em questão (localizado ao lado de cada bicicleta) e destrava a bicicleta escolhida, você ouvirá um “clique”;
14- É só puxar a bicilceta para trás e sair pedalando por Paris…;
15- A cobrança é da seguinte forma: a primeira meia-hora grátis, a segunda meia-hora 1 euro, a terceira meia-hora 2 euros, da quarta meia-hora para cima 4 euros, vai se somando: ou seja 2 horas seguidas custará 7 euros, já 2horas e 10 minutos custará 11 euros;
16- Para devolver: se dirija a qualquer Totem, encaixe a bicicleta até ouvir 2 “cliques” e a luz ao lado do número ficará verde;
17- Para sua segurança, se dirija ao totem e acesse sua conta como explicado acima e terá a opção de imprimir o ticket de devolução;
18- Você usára este cartão de assinante durante o período para o qual você comprou (1 ou 7 dias) quantas vezes quiser; repetindo o mesmo procedimento a partir do item 10 acima;
19- Essa sua conta criada expirará ao término do período pelo qual você adquiriu seu cartão de assinante deo Vèlib;

Dica: Se for pedalar por muito tempo, troque de bicicleta com menos de 2 horas para não sair muito caro;
Em nenhum momento você verá a pré-autorização no seu extrato do cartão, ao expirar a conta a Vèlib debitará o que vc usou de aluguel;
Por isso sempre imprima seu ticket de devolução para ter certeza que ela foi computada e até como forma de garantia.”

O procedimento para abrir uma conta e pegar uma bicicleta foi simplificado. Os primeiros passos são feitos agora por internet.
Completo o artigo de Eduardo informando que pelo site oficial do Velib vocês podem abrir uma conta, procedimento descrito nos itens acima.  As  opções de idiomas são: francês, inglês e espanhol. Na homepage cliquem em Mon Abonnement.  A conta pode ser válida imediatamente ou à partir da data escolhida. Acho mais fácil fazer a inscrição em casa, com calma e neste caso escolham data futura.
O Velib – Paris de bicicleta é um sucesso, turistas e parisienses adoram. Após alguns meses de existência desta iniciativa o balanço é favorável. As bicicletas são confortáveis, os carros respeitam os ciclistas, os ciclistas respeitam as regras de segurança e tudo vai muito bem. Com exceção de dois pequenos problemas. O sucesso é tanto que quando você chega na estação de bicicletas próxima de sua casa você a encontra vazia. Ou, quando você vai devolve-la na estação, todas os lugares estão tomados e você não sabe onde é a próxima.
 Para resolver estes problemas alguns conselhos. Antes de sair de casa consulta o site interativo do velib e veja se tem bicicletas nas estações próximas da sua casa. Em seguida veja se tem lugares disponíveis nas estações próximas do lugar onde você vai devolve-la. Clicando no endereço da estação você abre uma janela com estas informações.
Ou então pense em consultar a tela que se encontra na estação das bicicletas. 
Clicando nas teclas 4 e 5 você tem informações sobre disponibilidade de bicicletas e lugares livres nas estações vizinhas.
Veja aqui mapa das ciclovias e corredores de ônibus usados pelos ciclistas.
fontes:
MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.