domingo, 29 de março de 2015

Jogo dá prémios a quem abdicar do carro para ir trabalhar.




mobi

Jogo dá prémios a quem abdicar do carro para ir trabalhar.

Mariana Carvalho1-MariaBicicleta
A deslocação casa-trabalho com recurso a meios mais sustentáveis do que o automóvel particular ganhou a forma de jogo, com prémios e tudo. A ideia foi lançada na Holanda em 2012 e vai começar a ser aplicada em Portugal na próxima segunda-feira pela empresa ANA, que gere os aeroportos nacionais.
Chama-se De5Para4 e tem como principal objetivo reduzir o número de pessoas que se deslocam para o trabalho de carro. O nome sugere a redução do uso do automóvel nos cinco dias para apenas quatro, passando a recorrer a outras formas de transporte, entre elas a bicicleta, ou a trabalhar a partir de casa no quinto dia.
O principal objetivo do jogo, que é completamente gratuito e funciona na internet e nos smartphones, é “combater o congestionamento do tráfego e contribuir para um Portugal sustentável, melhorando a imagem das organizações” que aderirem à ideia.
A ANA tem um universo de cerca de 1200 funcionários distribuídos pelos quatro aeroportos do continente (Lisboa, Porto, Faro e Beja), quatro dos Açores (Ponta Delgada, Horta, Santa Maria e Flores) e dois na Madeira (Funchal e Porto Santo).
O objetivo da adesão da gestora aeroportuária ao jogo é consciencializar os seus funcionários para a importância da mobilidade sustentável, alertando-os igualmente para a importância de combater o sedentarismo e optar por estilos de vida mais saudáveis, explicou ao Pedais.pt o responsável do departamento de recursos humanos da empresa Pedro Soares, ciclista que se desloca para o trabalho de bicicleta “há ano e meio”.
Inicialmente, o projeto foi iniciativa de duas empresas holandesas que desenvolveram e começaram a pôr em prática, ainda em 2012, mas posteriormente foi-lhe reconhecido o interesse e a importância na promoção de modos de transporte alternativos e a União Europeia decidiu promover o jogo, apoiando financeiramente a sua divulgação e aplicação, a que aderiram até agora seis países, entre os quais Portugal, explicou ao Pedais.pt um responsável da TIS – Consultores em Transportes, Inovação e Sistemas, empresa que está a dinamizar o D5P4 a nível nacional.
Na Holanda, o jogo surgiu como forma de diminuir os congestionamentos do tráfego automóvel, acrescentou João Bernardino.
O efeito foi uma descida de 27 por cento no uso do automóvel no percurso casa-trabalho entre os aderentes ao jogo, que integra o projeto europeu MOBI – Promovendo a Mobilidade Inteligente entre Trabalhadores, do programa Intelligent Energy Europe.
Embora a Holanda seja o país do mundo onde percentualmente mais população usa a bicicleta como meio de transporte diário – um em cada três holandeses vão para o emprego a pedal – as autoridades do país continuam apostadas em reduzir os engarrafamentos que persistem e em baixar a taxa de utilização do automóvel particular, trocando-o por outras formas de deslocação.
O jogo está delineado para ser usado em empresas e vai dando dicas aos aderentes sobre as consequências positivas e negativas acerca do modo como se deslocam para o trabalho, ao mesmo tempo que lhes vai atribuindo uma classificação dentro do coletivo que integra, para estabelecer o vencedor quando terminar o desafio, que no caso da empresa portuguesa ANA será no final de maio. Os prémios, a definir pelas empresas aderentes, serão individuais e coletivos.
As vantagens da adesão ao jogo são evidentes também na perspetiva das empresas. “Está provado através de estudos realizados que as pessoas que se deslocam de bicicleta faltam menos ao trabalho [por serem mais saudáveis] e têm um melhor desempenho” profissional, exemplificou João Bernardino.
O responsável da TIS revelou ao Pedais.pt que outras empresas com elevado número de quadros também já se mostraram interessadas no jogo, mas cujos nomes serão apenas revelados no caso de se concretizar a adesão à iniciativa.
O jogo De5Para4 vem juntar-se a outras iniciativas já em prática para incentivar a recurso a formas de mobilidade sustentáveis, como sucede com o selo para empresas atribuído pela associação de promoção do uso da bicicleta MUBi, ou das ações promovidas pela agência municipal Lisboa E-Nova.

M.M.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.