domingo, 12 de abril de 2015

AS LESÕES DO CICLISMO/BTT.

Para a sorte de todos os que amam os desportos com bicicleta, a boa notícia é que o ciclismo (e todas as suas variações, como mountain bike, bicicross, cicloturismo etc) é um dos desportos com menor índice de lesões.




“O ciclismo chega a ser benéfico para as articulações do joelho, quando realizado de maneira correta”, ensina o fisioterapeuta Wilson Germano, de Campinas (SP).



Entretanto, existem sim lesões que são típicas de praticantes de ciclismo, seja ele ciclismo indoor (Spining, RPM, Cycling Indoor e outros) ou o ciclismo de rua. Na grande maioria das vezes, as lesões ocorrem por stress de treino (overtraining) em ciclistas de competição. Em ciclistas que pedalam por prazer, as lesões em geral aparecem em função do mau ajuste da bicicleta e/ou uso inadequado da bike.



“Em profissionais são comuns as tendinites de joelhos e no Tendão de Aquiles e também as dores na região lombar, no pescoço e dos músculos do trapézio (região lateral do pescoço, próximo aos ombros)”, ensina Cássio Paiva, ciclista brasileiro que venceu a Volta de Portugal, em 1992.






“O ciclismo em bike estacionária é tido com a atividade de menor estresse oferecido à articulação do joelho”, garante Germano. Mas ele também alerta que uma aula de ciclismo indoor mal dirigida e com o aluno pedalando uma bike mal ajustada para seu corpo, pode gerar casos de lesões gravíssimas, sobretudo no joelho do praticante.



Entre as principais causas de lesões em ciclistas, amadores ou profissionais, Germano aponta:
Falta de conhecimento técnico da modalidade;
Falta de equipamento específico para a prática do desporto;
Falta de orientação de profissionais capacitados e fundamentados para a prática do desporto.

No ciclismo, lesões causadas pelo próprio movimento das pedaladas são relativamente raras, quando comparadas a outros desportos, como corrida e principalmente futebol. Isso se dá pelo fato do ciclismo ser um desporto onde praticamente não há impacto; só para ter uma ideia o impacto da corrida de baixa intensidade corresponde por volta de 1,6 vezes o peso corporal; em corridas mais rápidas esse valor aumenta até chegar por volta de 2,8; isso sem contar quando a corrida está associada a mudanças de direção ou sentindo. No ciclismo, só em sprints é possível atingir sobrecargas tão expressivas e, ainda assim, em sprints muitíssimo fortes. As lesões no ciclismo estão ligadas principalmente a diversos erros do ciclista, como posicionamento (podemos dizer que é um dos principais motivos), erro de treinamento (over use, excesso de treino, tanto de carga como volume) e os acidentes, que são os que levam a lesões mais graves. Apesar de não ser nenhum ortopedista, o trabalho junto com fisioterapeutas e ortopedistas me trouxeram algum conhecimento sobre o assunto; com isso, vamos comentar algumas das lesões mais comuns, a forma de evitar e a providência a ser tomada.








Há quem afirme que se uma pessoa andar de bicicleta no mínimo três vezes por semana, em um mês de prática o organismo já começa a dar resultados positivos. "O ciclismo te proporciona o bem estar, pela liberação de hormônios. Se tivéssemos o hábito de andar de bicicleta, a população estaria mais saudável. A prática do ciclismo no dia a dia não causa danos, além das quedas", explica o professor.



Mas o praticante deve seguir a mesma regra de qualquer outra atividade: deve respeitar os limites do corpo. “Dores musculares e falta de ar são sintomas de que o corpo está sofrendo”.



Outra questão importante está relacionada como a preparação do corpo. "Tudo que se faz para mudar o estado do corpo deve ter um preparo antes como alongamento da musculatura, fazer alguns polichinelos para acelerar o coração e não provocar um estresse maior".



Uma fisioterapeuta, explica que, quando o ciclismo é praticado errado, as articulações do joelho e do tornozelo são as que mais sofrem. Para prevenir lesões desse tipo, Bianca indica que o ciclista alongue antes e depois do exercício.



Ela afirma que é importante regular corretamente a altura do banco, de acordo com a altura da pessoa, para evitar problemas. A fisioterapeuta também alerta os "atletas de fim de semana" que geralmente esquecem de se alongar.



A fisioterapeuta lembra de poucos pacientes sendo atendidos na clínica devido à prática errada do ciclismo e relata que apenas algumas pessoas que têm a atividade como desporto. Segundo, os ciclistas de longa distância têm mais chance de se aleijar.
Visto em: Lesões no desporto.

MM

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.